fbpx
FEVEREIRO 2020 • EDIÇÃO DIGITAL 13

Uniflex em casa com Estúdio Penha

A linha, o espelho e o tempo foram os pontos de partida que o Estúdio Penha utilizou para refletir maturidade e bem-estar ao arquitetar o projeto da recepção da nova sede administrativa da Natura
"A linha expressa o começo de tudo, é um elemento simples, mas mutável, dançante, flexível. Imaginária ou material. Da linha se faz movimento, a criação que nasce dela e vira produto; as linhas da vida, de pensamento, de existir. Em conjunto, representadas pelas cortinas, a linha configura-se em tramas mais complexas, torna-se plano, torna-se expressão."
Estúdio Penha | fotos Maíra Acayaba
Envolta por uma vegetação densa, localizada às margens da Rodovia Anhanguera, em São Paulo, a sede da Natura reflete os princípios fundamentais da marca: sustentabilidade e compromisso com o meio ambiente. Sinônimo de estética e bem-estar, sua arquitetura absorve para os seus espaços a beleza da paisagem nativa por meio de paredes de vidro. Pensada para receber bem, o Estúdio Penha assinou o projeto de arquitetura e interiores da recepção considerando os signos de um Brasil contemporâneo, o projeto materializa a essência do bem-estar que expressa as dimensões da Natura. Receber bem mal nenhum tem, o escritório partiu de três conceitos principais da arquitetura que vão ao encontro da marca: a linha, o espelho e o tempo. Para representar a linha onde encontra-se o movimento e a criação que se faz a partir dela, resultando em produto, o escritório fez a escolha certa junto à Uniflex | Moema, pela cortina String, em formato Painel, linha exclusiva Uniflex. O Painel String é tendência em produtos tanto para vestir janelas e varandas como para divisores de ambientes. Ela traz, ainda, a releitura das tradicionais cortinas de franja, unindo o retrô e o contemporâneo, com tramas que filtram a luz delicadamente e criam privacidade. O espelho, outro elemento utilizado no projeto, reflete as particularidades de todas as belezas que cada individualidade expressa. Já o tempo é representado pela luz e as imagens dos móveis, inspirados nos clássicos modernistas que garantem a elegância e simplicidade de um período marcado pela bravura e ousadia de grandes mestres do design brasileiro.
"Todos os elementos utilizados na recepção da Natura se sobrepõem, se mimetizam, criando jogos de esconde e aparece. Estabelecem relações uns com os outros originando significados e novas possibilidades. Do aglomerado de linhas, dá-se a tela, e da sobreposição da luz sobre este plano, um “cinema” para transmitir aos passantes mensagens, imagens e ideias. Um projeto provocativo com um conceito forte, leve, mas não descartável. Um projeto sensorial com música, cheiro e texturas cheias de significados que capturam, pelo olhar curioso, esta alma que une a Natura e o Brasil criando uma imagem própria e original para a marca.

O imperfeito é a imperfeição deixada pelo tempo e as marcas associadas aos processos que contam uma história. É a busca de um novo olhar, o olhar da poesia que reconfigura os padrões de beleza. Costumamos dizer que existe uma diferença entre o charme de imperfeito e o charme do malfeito. O imperfeito precisa ser regido com cuidado a fim de obter um resultado positivo, pois existe uma linha tênue entre estes dois ‘mundos’. É um exercício de percepção que deve ser abraçado por todos do processo, principalmente por quem executa a obra."

• Estúdio Penha
Com um time de peso, o Estúdio Penha crê em uma arquitetura que conta histórias por meio de memórias, tanto do local como dos seus proprietários, para definir o caminho a ser seguido e propiciar personalidade única em cada projeto. Responsável pela assinatura de casas particulares, prédios e dos restaurantes mais bacanas Brasil afora, destacamos o espaço de eventos do Maní, inspirado na memória de casas de uma grande família brasileira; a Padoca do Maní, do Shopping Iguatemi em um sítio; a Bráz Pizzaria, no bairro tradicional de São Paulo que o nome da rede, e sua história de fábricas com chaminés; e o Seen, restaurante localizado na cobertura do Edifício Tivoli Mofarrej, onde o Estúdio buscou inspiração nos anos 1980, revisitando a década da inauguração do hotel, que trazia o estilo e a elegância da Art Déco. Buscam a beleza na imperfeição, pois acreditam que somos imperfeitos e na imperfeição somos acolhidos. Na imperfeição somos mais espontâneos e livres de padrões de rigidez. Acreditam que olhar a beleza da imperfeição, carregada de significado, de tempo e maturidade é viver a sua beleza perfeita. Criado em 2010, o escritório já recebeu diversos prêmios ao longo da sua trajetória. E em 2019, a menção honrosa na categoria Low Rise – com projetos de um a quatro andares –, pelo Architizer A+Awards
Ping pong com estúdio
  • 1
    UN: arquitetura é...

    EP: uma profissão de grande responsabilidade social que conduz o modo como vivemos e nos relacionamos com o nosso entorno, sejam nos espaços públicos ou privados.
  • 2
    UN: amigos são...

    EP: a ampliação da nossa família e ajudam a dar significado em nossas vidas.
  • 3
    UN: o quê mais faz o Estúdio Penha feliz?

    EP: conseguir realizar os nossos projetos.
  • 4
    UN: praia ou campo?

    EP: tudo em seu momento e um tipo de experiência única.
  • 5
    UN: por que?

    EP: é importante abrir-se a tudo que a vida oferece.
  • 6
    UN: inspiração...

    EP: aquela que estimula a memória ou cria uma.
  • 7
    UN: a raiz de todos os males…

    EP: o ego que nos faz esquecer que juntos somos mais fortes.
  • 8
    UN: profissionalismo…

    EP: ética, verdade, paixão e trabalho em equipe.
  • 9
    UN: por que Uniflex?

    EP: pela inovação, tecnologia associada e, principalmente, a disponibilidade em apoiar-nos na solução de cada projeto.
  • 10
    UN: cultura é…

    EP: o que nos torna únicos num contexto mundial. No âmbito individual, as experiências que acumulamos na vida.
  • 11
    UN: na arquitetura não pode faltar…

    EP: levar em conta o usuário e o entorno em que está inserida.
  • 12
    UN: no décor não pode faltar…

    EP: alma e personalidade.
  • 13
    UN: para o Estúdio Penha viver é…

    EP: ter a paixão pelo o que fazemos em nosso dia a dia e dar significado a ela.
  • 14
    UN: o que é in no décor?

    EP: respeitar a memória e o usuário com seus significados afetivos.
  • 15
    UN: o que é out no décor?

    EP: ser pretensioso e ostentativo. Luxo atualmente é o tempo que um projeto acolhedor e singelo traz.
  • 16
    UN: nas pranchetas do Estúdio Penha não falta:

    EP: paixão e parceria de todos.
    Consciência

    Double Face, uma tela solar desenvolvida por meio de um processo científico inteligente!

    O aquecimento global é uma realidade não apenas para a ciência. A humanidade vivencia, dia após dia, os danos causados pelo aumento da temperatura, que atingiu um ápice a partir dos anos 2000, segundo informações do Greenpeace. E à medida que as pessoas passam a ter consciência dos males que esse fenômeno causa para o planeta, com altos índices de CO2 e o esgotamento dos recursos naturais, a exigência em produtos sustentáveis torna-se imprescindível.

    Para isso, a indústria que zela pelo bem-estar do planeta e seus ocupantes não mede esforços para criar e desenvolver seus produtos. Aprovado pelas mais respeitadas organizações de testes independendorestes, como o Oeko-Tex®, que testa a presença de compostos orgânicos voláteis, e o Ecospecifier®, que se compromete com a construção e fabricação ecologicamente consciente, o Double Face possui, ainda, retardante de chama em níveis que alcançaram a regulação internacional de fogo e fumaça atestadas por países como Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, Austrália, China e Coreia do Sul. Formulado pelo processo LOE – Low Odor Emission Tecnology, tecnologia de emissão de baixo teor de odor –, o Double Face recebeu aprovação do Greengard® para a qualidade interna do ar, que ao contrário da maioria das telas solares, tem um mínimo de odor e, portanto, não foi associado a reclamações de consumidores que desenvolveram O aquecimento global é uma realidade não apenas para a ciência. A humanidade vivencia, dia após dia, os danos causados pelo aumento da temperatura, que atingiu um ápice a partir dos anos 2000, segundo informações do Greenpeace. E à medida que as pessoas passam a ter consciência dos males que esse fenômeno causa para o planeta, com altos índices de CO2 e o esgotamento dos recursos naturais, a exigência em produtos sustentáveis torna-se imprescindível. Para isso, a indústria que zela pelo bem-estar do planeta e seus ocupantes não mede esforços para criar e desenvolver seus produtos. Aprovado pelas mais respeitadas organizações de testes independendores de cabeça ou sentiram-se mal depois de inalar odores fortes das outras telas solares oferecidas no mercado. Outros diferenciais do Double Face que valem ressaltar são que, independente da sua cor no caso de edifícios que exigem Tela Solar uniforme, o seu fundo sempre será na cor branca e o seu fator de abertura é de 3%. Uniflex, uma empresa responsável e consciente, mais uma vez sai à frente quando coloca o bem-estar do planeta e dos seus habitantes em primeiro plano, sem deixar de lado, é claro, a estética, a qualidade e a precisão ao industrializar cortinas e persianas.

    Obras recentes e pontuações históricas

    Abraham Palatnik abre o calendário de exposições na Galeria Nara Roesler
    Acima: vista de parte da exposição “obras recentes e pontuações históricas”, do artista Abraham Palatnik, na galeria Nara Roesler, em São Paulo.
    Figura central da arte cinética e óptica no Brasil, Abraham Palatnik, aos 91 anos, apresenta a sua individual “obras recentes e pontuações históricas” até o dia 14 de março na Galeria Nara Roesler. Os trabalhos da série W são desdobramentos dos relevos progressivos que o artista desenvolve desde a década de 1960. Apresentada pela primeira vez, em 2004, pela galeria, a individual traz, além desta série, uma seleção de trabalhos históricos de Palatnik. A exposição na Galeria Nara Roesler afirma a capacidade do artista de reiventar a sua prática e o seu compromisso com a experimentação, sem deixar de lado o rigor da execução que, mesmo se valendo de preceitos técnicos e mecânicos, sempre soube dividir espaço com a intuição e criatividade.
    • Detalhe da obra W-MA 3, 2019.
      Tinta acrílica e esmalte sobre madeira. 70 X 80 cm.
      Fotos: Erika Mayumi

      Casas espetaculares

      Baba Vacaro conta a trajetória do programa Casa Brasileira, que acaba de completar dez anos no ar
      Entrar na arquitetura das casas mais espetaculares Brasil afora, este é o mote da série documental Casa Brasileira, que traz o jeito brasileiro de morar, transmitida pelo canal GNT. Com direção de Alberto Renault e roteiro de Baba Vacaro, o programa acaba de completar dez anos e encerrará esta temporada com 100 episódios exibidos. É o viver e sentir dentro de uma casa criada e executada pelos mais importantes profissionais da arquitetura e interiores para acolher a família, a sua história e os seus valores em uma estética singular. Seja de Leste a Oeste, ou de Norte a Sul: “Variedade, verdade, emoção, espontaneidade e beleza”, sob o ponto de vista dos profissionais e moradores, são imprescindíveis no roteiro do programa, conta Baba Vacaro para Uniflex. E nesta temporada, que traz como tema cidades, Uniflex destaca a casa Figueira – ver página 16 –, exibida nesta última temporada do programa. O projeto é do escritório Stemmer Rodrigues e está localizado em uma das regiões mais bonitas do Rio Grande do Sul, e sua fachada principal faz a sintonia de contrastes entre a rigidez do concreto, a figueira que dá nome à casa e a grande rocha que simula o apoio do volume, rendendo homenagem a um forte elemento da paisagem regional. Embalada com a nova geração de arquitetos que entram em cena, ao lado dos mestres já consagrados como Paulo Mendes da Rocha, Janete Costa e Lelé, o programa leva para o telespectador o resultado dos traços feitos em compassos, criados nas pranchetas dos mais brilhantes profissionais da arquitetura brasileira.
      UN:
      De quem foi a ideia e como foi o início da criação do programa Casa Brasileira, do canal GNT?
      Baba Vacaro:
      Foi em uma conversa com Alberto Renault, diretor do programa, há dez anos. Nós falávamos sobre a possibilidade de criar um novo jeito, dinâmico, espontâneo, de mostrar a relação afetiva das pessoas com suas casas, e tudo que está contido nelas; e como são diferentes os pontos de vista – do arquiteto e do morador. E a ideia de usar essa abordagem em uma série para a televisão surgiu naturalmente na cabeça do Alberto.
      UN:
      Em algum momento houve uma situação inusitada durante a gravação do programa? Se sim, pode nos contar?
      Baba Vacaro:
      Não me ocorre nada “inusitado”.
      UN:
      Como é feita a escolha das casas apresentadas no programa?
      Baba Vacaro:
      Alberto e eu elaboramos as pautas e buscamos as casas – e os moradores e arquitetos – que melhor retratem o que desejamos abordar em cada episódio.
      UN:
      O que é imprescindível ter no roteiro do programa Casa Brasileira?
      Baba Vacaro:
      Variedade, verdade, emoção, espontaneidade e beleza.
      UN:
      Entrar no universo das casas brasileiras mais espetaculares é…
      Baba Vacaro:
      Um ótimo aprendizado.
      UN:
      Casa Brasileira completa dez anos no ar. Houve alguma mudança no programa durante este período? Se sim, pode nos contar?
      Baba Vacaro:
      Não houve mudanças estruturais mas, sim, uma evolução natural, baseada num aprendizado constante e na busca da excelência. Somamos nesta temporada 100 episódios.
      UN:
      Em 12 de janeiro, o programa estreou a sua nova temporada. Ao todo serão 13 episódios. Você pode nos contar um pouco do que vem por aí?
      Baba Vacaro:
      Esta nova temporada, cujo recorte é ‘cidades’, tem, pela ordem: dois episódios no Rio de Janeiro, um em São Paulo e um que chamamos de Ponte Aérea; depois Paraty, Brasília, Bahia, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Cidades Históricas – Tiradentes e Ouro Preto –, Minas Gerais com dois episódios e Pernambuco. É difícil elencar alguns poucos destaques, mas uma coisa muito bacana são as casas de escritores – temos a casa de Jorge Amado, no episódio Bahia, e a de Gilberto Freyre, no episódio Pernambuco (ambas com depoimento de familiares), Elizabeth Bishop no Cidades Históricas – a casa Mariana visitamos com o José Alberto Nemer – e, também, Fernanda Young, uma das suas últimas entrevistas.

      AR Arquitetura na Quartos Etc

      Execução Uniflex Cidade Jardim
      A história da família portuguesa e sua arte de receber com carinho foi o ponto de partida para o ‘Quarto Héstia’. Inspirado na deusa grega da hospitalidade, o projeto surgiu da ideia de um quarto de hóspedes romântico e contemporâneo, fazendo o uso de cores primárias, como o azul e o branco, para trazer a sensação de paz e tranquilidade. E por meio de materiais e texturas clássicos e atemporais, o escritório fez uma releitura do conceito romântico. A palhinha da cabeceira da cama, o próprio papel de parede, a delicadeza da persiana XL Pleat, da coleção Sorrento, na cor White, da Uniflex, e os tecidos na estamparia de bordados português e Viana do Castelo foram utilizados de forma moderna e despretensiosa.
      "A Uniflex é diferenciada devido à sua diversidade e à qualidade dos produtos. Atende sempre com excelência aos projetos do nosso escritório e aos nossos clientes. No ‘Quarto Héstia’, a parceria se extende à persiana XL Pleat, que além de elegante e delicada, atende às necessidades do ambiente. A seleção da peça foi realizada em conjunto com a equipe Uniflex | Cidade Jardim. E o resultado traduz o sucesso da parceria de longa dat"
      Ana Rita Souza e Silva, do escritório AR Arquitetura

      Laura Rocha na Quartos Etc

      Execução Uniflex Gabriel
      Receber bem é uma arte, e por isso o quarto de hóspedes torna-se um ambiente essencial. Quando os convidados se sentem acolhidos, importantes e bem cuidados, a memória da visita ao seu lar será eterna! Para isso, é importante deixar o ambiente de descanso, de recolhida, o mais harmonioso possível. Seja na praia, no campo ou na cidade, projetamos o quarto de hóspedes para acolher, ‘para receber...’ quem queremos por perto. Para isso, o escritório utilizou no quarto ‘Receber bem’ cores neutras e amadeiradas no mobiliário. Na janela, a escolha ficou com a persiana de Madeira, da coleção Classic com 50 mm, na cor Maple Uniflex. A cortina e o xale em prega americana foram confeccionados pela Uniflex com os tecidos da marca Entreposto.
      "A Uniflex está presente em muitos dos meus projetos pela qualidade dos seus produtos. Mas o principal é pela excelência na instalação, que resulta no sucesso de cada projeto. Para o quarto ‘Receber bem’, utilizamos a persiana da coleção de Madeira, instalada com perfeição pela equipe Uniflex | Gabriel, que trouxe além de privacidade, a luz natural para o interior do quarto."
      Laura Rocha | fotos: Romulo Fialdini

      Inspire-se

      na calma, confiança e conectividade do Classic Blue, da PANTONE 19-4052
      Você sabia que a cor do ano requer uma profunda consideração e análise de tendências? Sabia ainda, que para chegar à seleção todos os anos, os especialistas em cores do Pantone Color Institute vasculham o mundo em busca de novas influências de cores? Por isso, Uniflex entra em cena e apronta, batendo de porta em porta, nos endereços mais bacanas de São Paulo, para encontrar peças no tom Classic Blue e inspirar o seu décor.
      1. Luminária Luzi, de Ingo Maurer, em plástico, metal e lâmpada de baixa tensão, na FAS Iluminação.
      2. Linha Berlin Blackout Uniflex.Uma ótima solução para o controle total da luz em escritórios, home theaters, auditórios e quartos.
      3. Abajur Frevo, de Cris Bertolucci, com estrutura em latão escovado e cúpula em dois tamanhos, na Cris Bertolucci Estúdio.
      4. Mesa Giulia, de Maximiliano Crovato, em madeira laqueada, na Legado Arte.
      5. Luminária pendente vinte2, em madeira freijó e cúpula de alumínio com sistema de regulagem de altura artesanal, na Lumini.
      6. Caneca em cerâmica, 350 ml, na Le Creuset.
      7. Chaleira Demi, 1,1 l, em aço carbono esmaltado, na Le Creuset.
      8. Multi Bowl em cerâmica, tamanho médio, na Le Creuset.
      9. Jogo de banho da linha Urbane na cor Azul, em 100% algodão, com cinco peças, na By The Bed.
      10. Poltrona Striad, de Markus Jehs e Jürgen Laub para a Herman Miller, disponível em três alturas de encosto, na Novo Ambiente.
      11. Poltrona Bloom, de Emerson Borges, com revestimento em veludo, na Saccaro.

      Em prosa com Giselle Martos

      Maison & Objet Paris (RE) GENERATION TRENDS 2020
      Em janeiro aconteceu a 25ª edição da Maison & Objet em Paris, considerada uma das maiores feiras de objetos e decoração do mundo. E a arquiteta e comunicadora Giselle Martos, do blog Lar Doce Casa, esteve lá para conferir as novidades e compartilhar com a gente cinco apostas do mercado para 2020. A Maison & Objet acontece duas vezes ao ano, uma edição em janeiro e outra em setembro, com a importância de que em janeiro, ela abre o calendário das feiras mundiais, ditando as apostas para o mercado de decoração em 2020. Em sua 25ª edição, participaram 3.600 marcas, com público de 85 mil pessoas do mundo todo... Esta edição trouxe como tema (RE) GENERATION, para que possamos refletir sobre como vive essa nova geração, Z e Y: colorida, prática, tecnológica, conectada, em busca da simplicidade, que vive com o mínimo, que tem consciência ambiental, que reusa e transborda inspiração.
      • Cores

        Foi claramente visível que identifiquei cinco grandes apostas para o mercado a partir desse tema. São elas: Cores – Sem medo de ser feliz, uma geração ousada que faz misturas de cores não óbvias e que no final nos surpreende. A paleta começa com tons terrosos, passando pelos tons pastel, um toque de azul vibrante e finalizando com um verde mentolado, uma explosão de cores lindas! Uma paleta que lembra muito as cores do modernista Le Corbusier.
      • Produtos Anatômicos e Multifuncionais

        Para uma geração que busca viver com conforto e praticidade, o mobiliário multifuncional e ergonômico ganha cada vez mais espaço no mercado, trazendo versatilidade e economia de espaço. Prestem atenção nas formas arredondadas. Tudo está mais anatômico.
      • Material sustentável

        Uma preocupação é: – de onde vem e como foi feito? A consciência ambiental é grande e cada vez mais precisamos saber sobre o impacto do produto no meio ambiente; as marcas que se preocupam com o futuro ganham cada vez mais espaço nesse mercado, unindo tecnologia e sustentabilidade. Natural e Verde | bambu
      • Perfecto Imperfecto | Fatto a Mano

        Produtos feito à mão com suas imperfeições perfeitas, essa é a forma que faz essa geração abraçar a simplicidade, resgatando técnicas milenares e trazendo o lado afetivo para dentro de casa. Quem investe nesse segmento agrega um valor tão grande ao produto que não tem preço!
      • Tecnologia

        Uma geração rápida, prática e conectada precisa de produtos que comuniquem e falem a língua deles, lembrando que o tempo não para e precisamos estar em constante movimento para não sermos engolidos com a velocidade da transformação e, sem dúvida, só temos a ganhar, pois a vida fica bem mais fácil com tanta tecnologia. Fevereiro 2020
      Revsista Uniflex 13
      Faça o download da versão digital completa!